Warning: session_start() [function.session-start]: Cannot send session cookie - headers already sent by (output started at /home/esutes/www/artigo_no_limite.php:1) in /home/esutes/www/_core.php on line 2

Warning: session_start() [function.session-start]: Cannot send session cache limiter - headers already sent (output started at /home/esutes/www/artigo_no_limite.php:1) in /home/esutes/www/_core.php on line 2
Artigo de reflexão Cristã sobre as artimanhas de satanás na mídia

Artigo de reflexão Cristã sobre as artimanhas de satanás na mídia

Pr. Pedro Noia

É Presidente da ComBC - Comunidade Batista Cristã, Mestre em Ciência da Educação pela Universidade Latino Americana e Doutor em Teologia na Área de Terapia Familiar. É casado com a pedagoga Daisy Marchetti Noia com quem tem 3 filhos, Fabrício, Daniela e Luisa.

No livro do Genesis 2:16, na entrega do jardim para Adão, o Criador coloca um único limite. Apenas uma árvore, entre tantas outras, não poderia ser experimentada. E o que parecia uma tarefa simples, respeitar uma demarcação, um limite apenas, se torna o maior pesadelo da humanidade.

Milhares de anos após este episódio, os homens ainda têm dificuldades em respeitar limites. Encontramos cônjuges angustiados por verem seus parceiros cruzando os limites da fidelidade. Professores frustrados por não conseguirem ensinar limites para seus alunos. Cidadãos assistindo seus governantes passando dos limites. Pais e mães chorando por verem seus filhos extrapolando limites sociais. E como estará o Criador, vendo seus filhos ignorando os limites das suas leis ?

Crescemos sendo bombardeados por libertinagem, liberalismo e pensamentos libertários. E quando conhecemos a Deus e sua Palavra, mesmo sendo adultos, responsáveis e experientes, lutamos arduamente para nos libertar das mazelas que nos foram apresentadas.

Agora, o que pensar dos jovens ? Cheios de vigor, cheios de sonhos, cheios de dúvidas existenciais, cheios de autoconfiança e também de medos e conflitos. Tantos filmes, ritmos, programas, diversões, tantas Informações !

Como eles poderão manter-se dentro dos limites estabelecidos por Deus? Como ajudá-los a superarem estas influências e saborearem o Pão vivo? Como impedir que o mundo os atraia mais que a comunhão dos santos ?

Eles desejam aproveitar ao máximo cada oportunidade, e nesta ansiedade jovial, são facilmente atraídos e enganados por suas próprias concupiscências (Tiago 1:14). Não queremos de forma alguma sugerir que os jovens se enclausurem em seus quartos, se internem em algum mosteiro ou se abstenham de viver intensamente os dias da sua mocidade, porém alertamos aos mancebos que se lembrem dos limites plantados pelo Criador, pois terão que dar contas a Ele de todos os atos que praticaram fora destas demarcações (Eclesiastes 11:9).

A chave para isto, está em obedecer aos mandamentos do Senhor (Salmos 119:9b)

Você que é um jovem atleta, um jovem casado, um jovem em Cristo, leia com atenção as palavras de alguém que até os 27 anos de idade, fez tudo que o coração desejou. Sem limites, viveu “intensamente” a sua juventude e que por pouco, não perdeu sua família, sua saúde e sua vida. A você que é pai e enfrenta conflitos com filhos adolescentes, que este registro sirva de motivação e esperança na mudança que Deus pode operar através dos limites que você poderá construir na vida de seu filho.

Em primeiro lugar gostaríamos de abordar o que os nossos olhos vêem e nossos ouvidos ouvem...

A TV poderia violar os limites de Deus nas nossas vidas?

Qual a influência da mídia Televisiva nas decisões tomadas?

Em 1955 no início das transmissões televisivas, estreava o programa “O Céu é o limite”, um programa de perguntas e respostas que valorizava os estudiosos. Aquele meio de comunicação inovador nascia para ser um grande instrumento de socialização, entretenimento e sobretudo, um meio de educação nacional.

O ano de 1965 é marcado pelos festivais de música popular brasileira, fato que publicou ao mundo que no Brasil também existiam grandes talentos. A partir destas exibições televisivas os jovens “baianos”, capixabas, cariocas, entre outros, iniciaram um movimento musical de grande valor para nossa história.

Mas, em 1971 o Ministério das Comunicações baixa o decreto que regulamenta 3 minutos de comercial para cada 15 minutos de programação.

Devido à concorrência e para garantir a audiência, as emissoras começam a apresentar atrações apelativas, baseadas em sexo, violência e jornalismo sensacionalista.

Este apetite financeiro sem limites transforma a TV em um grande “professor” sem limites...

E a abolição destes limites passa a ser o grande tema dos eventos televisivos que, já em meados dos anos 80 mostra nitidamente sua intenção com programas intitulados “Armação Ilimitada”, onde a imoralidade e a rebeldia dos jovens era exaltada como fonte de prazer e aventura. “Zorra Total”, outro programa para alegrar seus expectadores, que na verdade, são violentados com imagens e trocadilhos que desrespeitam autoridade dos pais, zombam da fidelidade conjugal, difundem o homossexualismo como uma normalidade sem limites etc. “Escolinha do Professor Raimundo ou do Barulho”, onde o professor é satirizado e enxovalhado pelos alunos e, seguindo os anos, estréiam programas ainda mais piegas, tais como: “Casseta e Planeta”, que lança por terra qualquer sentimento de civilidade e respeito para com nossos governantes, “Sai de Baixo” que valoriza a confusão e a desordem familiar. “Malhação” que fomenta o relacionamento íntimo ilimitado entre adolescentes e tantos outros que ainda figuram nas telas de TV.

Na virada do século o show fica por conta dos “reality´s”, que invadem as telas com a série “No limite” que na verdade extrapola os limites humanos. E nesta mesma linha “copiamos” um programa de grande sucesso nos Estados Unidos, “Big Brother”, que extrapola os limites da intimidade de jovens bonitos, tatuados, extravagantes e cheios de desejos sexuais.

Creio que não precisamos comentar sobre nossas novelas, que só pelo título já podemos imaginar o veneno que destilam nas telinhas. A partir de 1976 temos: "Anjo Mau", “Cambalacho”, “Sassaricando”, “Vale Tudo”, “A próxima vítima”, “A outra”, “Desejo proibido”, “Sete pecados”, “Força de um desejo”, “Senhora do destino”, “Cobras e lagartos”, “O quinto dos infernos”, “O beijo do vampiro”, e pasmem, “Um anjo caiu do céu”.

O Salmista diz (101:3) que não deixaria que seus olhos vissem coisas torpes, obscenas, indecentes, impudicas etc. E no Salmo 119:18 ele pede a Deus que desvende seus olhos para que veja as maravilhas encontradas na Sua Lei.

Interessante notar que o salmista registra algo que o próprio Jesus Cristo citaria em seus sermões. Ele afirma que nossos olhos são a lâmpada do nosso corpo, então, se estão olhando para as trevas, todo o corpo estará na escuridão, porém, se captam a luz da Palavra de Deus, todo o corpo estará iluminado (Lucas 11:34). A partir deste conselho, devemos atentar com diligência e cuidado para tudo que nossos olhos estão assistindo e nossos ouvidos ouvindo pelas telas de TV, computador e cinema.

Será que, após assistir a um filme violento ou sensual seremos capazes de agradecer a Deus pelo que vimos ? Será que as sugestões das cenas não produzem em nós pensamentos paralelos ? Ao final de um filme com mais de 2 horas ininterruptas de mensagens subliminares e ou diretamente perniciosas, estaremos aptos a agir como cristãos ?

Como o jovem poderá manter-se em abstinência sexual até o casamento se alimenta seu instinto libidinoso através de seus olhos ?

Precisamos ser cuidadosos e observar criteriosamente as dramaturgias que temos assistido, e verificar se não há uma enxurrada de motivações contrárias aos limites das leis de Deus. Cenas de violência física, mental, sexual, social. Complôs, mentiras, enganos, farsas, traições, vingança, justiça-própria, amargura, melancolia, morte, espiritismo, homossexualismo, incestos, magia negra, heresias, vanglória humana, orgulho, soberba, poder etc. Poderíamos encher este texto com todo o tipo de lixo que impregnam as produções cinematográficas.

Quanta comunhão perdemos enquanto a TV está ligada ? Quantas famílias se assentam juntas porém separadas pelas imagens da TV, e enquanto “ela” fala, todos devem permanecer calados. Quantos passeios você poderia realizar, quantas pessoas poderia conhecer, quantos lugares lindos e paisagem que refrigeram a alma estão sendo ignoradas por uma tela eletrônica. Quanta comunhão poderíamos ter com Deus se delegássemos a ele o tempo que jogamos fora, assistindo a propagandas e programas estúpidos, de humor pejorativo e temas inapropriados.

Nossa linguagem, nossos pensamentos, nossos desejos e sonhos, devem ser moldados de acordo com o que enviamos a nossa mente. Lucas escreve em Atos 2:17, confirma a profecia registrada por Joel (2:28) que no final dos tempos os jovens teriam VISÕES... Estas visões são dentro dos limites espirituais e não carnais.

E você, que tipo de visão têm?

Rua Dionísio Rosendo - nº 155 - Ed. Renata - Sala 1001 - Centro - Vitória - ES - CEP 29 010-100 - Telefone: (27) 3062-0773

Todos os textos do site são registrados na Biblioteca Nacional como propriedade intelectual da ESUTES

Sua utilização configura-se crime que viola diretamente a Lei nº 9.610 - 98 - Lei dos Direitos Autorais

Copyright © 2014 - ESUTES - ESCOLA DE TEOLOGIA DO ESPÍRITO SANTO